Índios xavante realizam apresentações culturais em Cuiabá

30/05/2015 09:21

Índios da etnia xavante, da aldeia Nova Esperança em Barra do Garças (520 km a leste de Cuiabá), estão em Cuiabá, como parte de um projeto social. Nesta sexta-feira (29.05), os indígenas mostraram, em canto e dança, rituais que fazem parte da cerimônia de passagem dos jovens para a fase adulta, nas secretarias de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e de Educação (Seduc). Os índios são alunos da escola indígena Hambe, localizada na aldeia. 

Segundo Flávio Ferreira, diretor da Cia Teatral Cena Onze, responsável pela gestão do Museu Histórico de Mato Grosso, a vinda dos índios a Cuiabá faz parte de um processo social desenvolvido pelo grupo há cinco anos na terra indígena de São Marcos, a 100 quilômetros do município de Barra do Garças. 

“Dentro da aldeia Nova Esperança há uma escola indígena chamada Hambe onde há biblioteca, aulas de teatro, canto e dança e também algumas ações sociais. A visita a Cuiabá é uma viagem de conhecimento, onde as crianças deixam o seu universo para vivenciar outras experiências”, explica o diretor. Durante a estadia na cidade os indígenas visitaram museus, bibliotecas, o Centro Histórico e fizeram apresentações em escolas públicas e privadas. 

“Essa experiência é também para derrubar preconceitos que existem em relação aos índios. Aqui em Mato Grosso temos mais de 40 etnias, que são como países, cada uma com suas particularidades. O processo de educação e cultura passa pelo conhecimento e o respeito mútuo”, observa Flávio. “É preciso conhecer para respeitar e isso tem que partir de ambos os lados”. 

Para o cacique Xisto, que acompanha o grupo, esse trabalho de intercâmbio é fundamental na formação das crianças indígenas. “Elas nunca saíram da aldeia, não sabem o que se passa no restante do mundo. Há índios que saem por conta própria e aprendem o que não é bom, então estamos direcionando conhecimento, valores e a formação das gerações futuras, aquelas que serão responsáveis pela preservação do nosso povo”. 

Escola Estadual 
 

Assessoria Seduc/MT
Índios apresentam danças e costumes em escola de Várzea Grande
Índios apresentam danças e costumes em escola de Várzea Grande

Os alunos da escola Hambe iniciaram as incursões pela Grande Cuiabá com uma apresentação para os colegas da Escola Estadual Fernando Leite, em Várzea Grande. A interação entre estudantes índios e de uma escola tradicional da cidade, ambas da rede pública estadual, foi vivenciada nos últimos dois dias com uma série de apresentações de danças, músicas e costumes dos povos indígenas. 

Nesta sexta-feira (29.05), eles fizeram uma apresentação na Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Os servidores do órgão lotaram as dependências do auditório. 

A cada apresentação, o professor Xisto relatava o significado da dança para a cultura indígena. Os índios ainda homenagearam os secretários de Educação, Permínio Pinto, e o adjunto de Políticas Educacionais, Gilberto Fraga, com um colar produzido na aldeia, uma forma de demonstrar o respeito pelos gestores. 

Permínio, que assistiu à apresentação na Escola Fernando Leite, se comprometeu em visitar a aldeia. Ele quer conhecer in loco as dificuldades enfrentadas na Escola Hambe, que conta apenas com uma sala de aula. Uma das reivindicações é aumentar o espaço da unidade. 

Xisto agradeceu a presença do secretário por participar deste projeto de integração. “Nós temos que pensar na nossa juventude para aprender”, disse. Gilberto reconheceu que há uma dívida do Estado de Mato Grosso com os povos indígenas. 

Ele ainda estacou a importância dos alunos da escola urbana conhecer as atividades e os costumes dos índios. 

Nesta sexta-feira (29), a partir das 19h, o grupo se apresenta no Museu Histórico de Mato Grosso. 

Este projeto de intercâmbio conta com o apoio da Secel e da Seduc.

 

ANGÉLICA MORAES / ASSESSORIA
Secel-MT / Seduc-MT