Mãe e padrasto são presos suspeitos de espancar crianças de 1 e 3 anos

04/06/2015 00:01

Dois irmãos, de um e 3 anos, estão internados em estado grave após serem espancados pelos pais, no município deNova Xavantina, a 651 km de Cuiabá. A mãe das crianças, de 22, e o padrasto, de 30, foram presos dentro do hospital, quando deram entrada com o filho mais velho alegando que ele teria caído da cama, na noite de domingo (31). À polícia, Arcilene Bezerra e o marido dela, Walter Bezerra, negaram ter cometido maus-tratos e alegaram que só bateram para corrigir.

Os médicos que atenderam o garoto observaram que ele tinha levado uma pancada na cabeça e que estava cheio de hematomas pelo corpo. A criança estava fraca e reclamava de dores na cabeça e nas costas, ocasião em que o Conselho Tutelar foi acionado e constatou os maus-tratos. O casal foi preso pela Polícia Militar, na madrugada de segunda (1º), e encaminhado para a delegacia. Conforme a Polícia Civil, a mulher está grávida de cinco meses.

 

“O menino não reagia, parecia estar meio desmaiado. A enfermeira foi tentar dar banho nele e percebeu os ferimentos nas costas, orelhas, braços. Tinham muitos hematomas e cicatrizes. Havia ainda um caroço nas costas que parece ter sido formado após uma pancada. Com certeza ele não tinha caído da cama”, contou ao G1, a conselheira Denise Toyama, que esteve no hospital acompanhando o caso.

Ela relatou que os pais negaram os maus-tratos. A filha de um ano do casal tinha sido deixada por eles na casa de um parente, mas enquanto estavam no hospital, a menina foi levada até lá.

“Ocasião em que também observamos ferimentos no corpo da menina. Ela parecia anêmica e solicitamos que fosse feito raio-x. Os médicos verificaram que ela tinha duas fraturas graves nas costas, dificultando a locomoção. Não houve dúvidas do crime”, pontuou. Os irmãos foram encaminhados para um hospital na cidade de Goiânia, onde passam por diversos exames.

O delegado Sidarta Vidigal de Almeida, responsável pelo inquérito aberto para apurar o caso, disse que os pais foram indiciados por maus-tratos e lesão corporal. A família mora em uma fazenda no município e o casal está preso na Cadeia Pública de Nova Xavantina.

Durante depoimento, segundo o delegado, Arcilene negou ter espancado os filhos, como também o marido. “Ela disse apenas que teria batido nas crianças para corrigir e, não, para machucar. Porém, ela demonstrou frieza e não esboçou nenhum sentimento ao saber que os filhos estão internados em estado grave”, destacou Almeida.

Ele declarou também que o padrasto chegou a confirmar que Arcilene teria dado um soco nas costas da filha mais nova, quando ela tinha apenas 7 meses. A Defensoria Pública deverá atuar no caso junto ao casal. A Polícia Civil informou que o inquérito será concluído em 10 dias.

Kelly Martins

Do G1 MT